MOOsaico: Multilingual Virtual Community

Artigo sobre o MOOsaico saído na edição de Outubro de 2004 do "Raio X", o jornal do grupo de estudos de Matemática e Ciências da Computação da Universidade do Minho.

O MOOsaico acaba de fazer oficialmente 10 anos no passado dia 7 de Janeiro de 2004. Mas o que é isto de MOO ? A descrição clássica é a de que é um ambiente virtual baseado em texto. Ambiente virtual ? Cada utilizador está representado por uma personagem sua que define e veste como lhe apetecer. Com ela pode movimentar-se de lugar em lugar, a pé ou por transportes e manipular objectos que encontre ou que lhe sejam apresentados. E em texto ? Mas ninguém usa texto na actualidade não é ? Errado. Esta asserção está a léguas da verdade. O exemplo mais básico é o antiguinho IRC (Internet Relay Chat) que continua e continuará a ser em texto e mantém milhares de utilizadores. A rede portuguesa PTnet tem picos diários de mais de 20 mil pessoas ao mesmo tempo ligadas. Embora o mais conhecido cliente de IRC que se chama mIRC tenha janelas e uns icons continua a ser tudo em texto. O MOO tem mais essa vantagem. Não precisas de um cliente! Podes-te ligar de qualquer parte do mundo de qualquer tipo de computador, PDA ou outro dispositivo que consiga efectuar ligações. E encontras o telnet em todo lado - o mais simples cliente. Esta é uma das grandes vantagens em relação a AIM/ICQ e MSN. Naturalmente que se queres ter uma melhor interacção deves utilizar um cliente de MOO, mas isto não te limita pois podes fazer tudo sem ele. Assim, comandas a tua personagem escrevendo os verbos das acções e simulações que pretendes que ela faça.

Mas com estas comparações todas será então o MOO um servidor de chat ? Se assim fosse não se teria mantido estes anos todos. A capacidade de personalizar e alterar tudo o que rodeia a personagem tem sido fundamental para manter pessoas. A facilidade de criação de coisas novas ajuda a manter um espírito de comunidade. Cada um sente que o que está a usar foi feito por outra pessoa da comunidade e que pode ajudar a melhorar isso. É por isto que o MOO tem sido usado ao longo destes anos como uma ferramenta colaborativa e educacional. Facilmente encontram numa busca na internet referências às várias vertentes educacionais de MOO: ajuda a outras linguas, escrita, leitura, partilha de conhecimentos, trabalho de grupo, socialização e cultura. O próprio MOOsaico vem referênciado em vários livros. Desde o "Roteiro Prático da Internet" do deputado José Magalhães, passando por "Tratamento das Línguas por Computador" da Editorial Caminho, e até em livros estrangeiros como "Reconceptualizing Teaching Practice" de Mary Lynn Hamilton. O exemplo máximo das potencialidades já desenvolvidas e testadas em termos colaborativos é o novo produto da Microsoft, o Microsoft © Office Live Meeting. Pavel Curtis, o pai do LambdaMOO formou uma empresa para explorar as potencialidades de um sistema como o MOO integrado com as aplicações mais usadas pelos utilizadores. O seu produto foi comprado pelo gigante de Redmond. É claro que o MOOsaico não tem essa integração mas em menor escala faz o seu papel.

Mas porque é que foi criado ? Só mesmo um bocadinho pequenino de história. A long, long time ago in a galaxy far far away... Não propriamente, mas em Outubro de 1993 foi lançado pela primeira vez o MOOsaico onde só se ligavam algumas pessoas conhecidas. Foi um tempo de aprendizagem para os wizards (nome dado aos administradores de MOO) e um grupo de amigos saberem o que era isto de MOO. Gostaram tanto que foi logo decidido ter de se abrir a todas as pessoas, quer da Universidade do Minho quer externas. As potencialidades saltavam à vista, e ser só para os alunos da UM era muito restritivo. Com a ajuda de um docente foi instalado numa máquina do Departamento de Informática e anunciado ao mundo em 7 de Janeiro de 1994. Convém notar aqui a importância do servidor estar alojado no DIUM. Naquele tempo os alunos não tinham acesso internacional à internet. O MOOsaico também serviu para a comunidade discente sair da sua ilha e atravessar oceanos. Como o interface era bilingue desde o início atraiu portugueses e pessoas de outros países.

Os anos que se seguiram chegaram a uma época de ouro do MOOsaico. Nessa evolução muitas comunidades foram criadas dentro do MOOsaico. Devido ao seu estilo de ambiente e cada pessoa poder gerar coisas novas atraíu muitos alunos das universidades portuguesas. Talvez pela região onde se encontrava alojado e o grupo maior de personagens ser da UM criou-se um forte triângulo de contacto entre Braga, Guimarães e Porto tendo no meio Famalicão. A proximidade destas cidades fez deslocar "excursões" entre as cidades para verem in loco com quem desenvolviam temas, conversavam, tiravam dúvidas de matérias e naturalmente, batiam coros. Enganem-se no entanto se acham que se limitava a pessoas do norte do país. Os grupos iam desde Vila Real, Aveiro, Coimbra, Lisboa e Algarve. Com as ferramentas que existem no MOOsaico para grupos de discussão todos ficavam com alguma ideia da realidade de outras universidades.
Mas não foi só a nivel nacional. A quantidade de personagens não portuguesas era também elevada. Ou por terem curiosidade dos portugueses, ou por gostarem do espírito do MOOsaico, ou por terem sido convidados por várias personagens a participar criaram também forte dinamismo. Ninguém se esquece das pessoas de Richmond, California nem da Semana de Cinema de Minorias Australianas. Depois da visualização de curtas metragens em Braga o MOOsaico serviu de veículo de comunicação com alguns dos realizadores australianos. Foi montado no auditório A1 da Universidade do Minho e num outro em Perth, Austrália, um sistema que projectasse num ecran a interacção que se iria seguir no MOOsaico para que o respectivo público pudesse ir vendo a entrevista.

Mas este sucesso teve um preço. A memória para computador era muito cara e o servidor começou a ocupar muitos recursos. Teve-se de começar a limitar a 200 o número de personagens ligadas ao mesmo tempo. Mesmo assim tudo continuava a crescer e não surgiu outra alternativa do que optarmos por uma solução radical - fechar completamente a criação de novas personagens. Durante dois longos anos nunca mais se criou uma única personagem. A falta de sangue novo de tempos a tempos foi-se ressentindo, mas o que quase deu a machadada final no MOOsaico foi mesmo uma acção de dentro da Universidade do Minho. O Centro de Informática fecha o acesso externos dos laboratórios a todos os alunos excepto por Web. Foram os nossos anos negros.

O núcleo duro foi mantendo o ambiente e muitos dos que já tinham acabado o curso continuaram a usar o MOOsaico até à actualidade. Hoje com a facilidade de recursos existente o MOOsaico volta a evoluir. A quantidade de personagens voltou a aumentar, assim como as novas criações. A divulgação voltou também a ser feita pelas personagens existentes como tinha sido feito no passado. Não há melhor campanha que a passagem da mensagem de "boca para boca" que foi o que levou a que quase todos os alunos que iam para os centros de informática tivessem personagem no MOOsaico.

O MOOsaico continuará. Agora com uma máquina dedicada e a facilidade de expansão já não há razões técnicas para não se aceitarem evoluções. Tudo passa pelas pessoas estarem abertas à cultura dos MOOs e divulgarem pelos amigos o que podem fazer num MOO. Nada melhor do que se ligarem a moo.di.uminho.pt 7777 e o explorarem com paciência. Para os preguiçosos existe algo em http://no.moosaico.merg.ulh.as/
Vários mistérios do MOOsaico serão desvendados em futuras edições. Aproveita para criares a tua personagem ou reaveres a tua antiga.

wizards@moosaico.moo.mud.org
Copyright © 1994-2018 MOOsaico, Multilingual Virtual Community
All Rights Reserved. Todos os direitos reservados.
24 years of MOO (1994-2018)